Superioridade na posse de bola representa 60% das vitórias no Barezão 2020

Superioridade na posse de bola representa 60% das vitórias no Barezão 2020

O Camisa 12 levantou estatísticas de posse de bola do encerrado/cancelado Campeonato Amazonense 2020. Constatamos que mais da metade das vitórias foram de equipes que tiveram maior superioridade no controle da posse. Das 25 vitórias, 10 foram de times com menos posse de bola. Logo de cara, esse número poderia revelar a superioridade de um estilo que privilegia o controle da bola, mas há outros fatores dentro de uma partida de futebol que influenciam muito mais no resultado final do que apenas a superioridade na posse.

O Amazonas FC de Lecheva foi o time do Barezão com maior media de posse de bola do Campeonato, foram 55,5%, seguido do Manaus FC de Welington Fajardo com 52,4% e o Penarol com 50,5%. Fast, Nacional, São Raimundo, Princesa e Iranduba tiveram posse de bola abaixo dos 50%.

Estatísticas levantadas durante o Barezão 2020

Manaus e Amazonas foram os finalistas do 1º turno e lideres da classificação geral, é claro que não iremos atribuir um único aspecto para o sucesso de ambos, mas é interessante observar que os times que jogaram com mais posse lideraram o Campeonato de ponta a ponta, levando em consideração que o futebol que valoriza a posse foi melhor representado pelo Onça, já que o time de Fajardo valorizava outros atributos, como o aspecto físico e a marcação alta para roubar a bola no campo de ataque por exemplo.

Mas podemos citar o Fast de Wladimir, que nas últimas três rodadas antes da paralisação, voltou a ter maus resultados: com derrotas para Manaus e São Raimundo e um empate contra o Amazonas. Só que foi o Rolo Compressor que mais chegou perto de vencer o Manaus em todo o Estadual, se não fosse pelo gol milagroso de Spice na última bola da partida nas semifinais do 1º turno, poderíamos ter um Fast e Amazonas na decisão. O time de Wladimir ficou conhecido por exercer um futebol reativo, a marcação do Fast não avançava para pressionar a saída do adversário, e teve uma média de 48,8% de posse de bola.

Mais finalizações representa 76% das vitórias no Estadual

O time ter superioridade na posse de bola só é relevante se por acaso os atletas conseguirem criar oportunidades que gerem finalizações ao gol do adversário, caso o contrário, qualquer time que saiba se organizar defensivamente para sair no contra golpe, conseguirá ter vantagem sem necessariamente precisar trocar inúmeros passes no meio campo. 19 das 25 vitórias foram resultado de equipes que finalizaram mais durante os 90 minutos, o interessante é que esse aspecto gera uma luz no setor ofensivo, pois times como São Raimundo e Nacional são os líderes nesse quesito, com 13,1 finalizações por jogo do Tufão e 12,9 do Leão da Vila Municipal, mas não escondem as falhas defensivas que esses times apresentavam, inclusive em suas vitórias.

O São Raimundo na vitória contra o Iranduba finalizou 14 vezes e fez quatro gols, uma média de um gol a cada 3,5 definições, mas em contra partida, apresentou inúmeras falhas defensivas, por exemplo: o Hulk finalizou 13 vezes, apenas um a menos do que Tufão, e fez três gols. Em nenhum momento o São Raimundo conseguia ter conforto no placar, era claro que o time do atual técnico do Nacional para a série D, Mazinho, era completamente instável. Vale destacar que o São Raimundo foi o time do Campeonato com a menor média de posse de bola, 45,3%.

São Raimundo e Iranduba se enfrentaram pela 4ª rodada do 1º turno

Agora usando o Nacional como exemplo, podemos citar o próprio Iranduba, aonde a equipe de Lana, à época, venceu por 3-2, teve 18 finalizações, mas demonstrou as mesmas fraquezas do São Raimundo, e acabou oferecendo chances para o Iranduba finalizar 10 vezes.

Essa fraqueza no setor defensivo pode ficar mais claro no número de gols que cada time levou ao longo do Barezão, enquanto o Leão sofreu 20 gols, o São Raimundo sofreu 18. É curioso vê que as duas equipes brigaram até a última rodada pela quarta vaga nas semifinais do 1º turno.

Levando em consideração as finalizações na direção do gol, em apenas três partidas o time que venceu finalizou menos contra a meta do que o adversário, mesmo assim, o aproveitamento no momento de definir jogadas parece decifrar melhor o sucesso de um ataque do que apenas as finalizações em si, por exemplo: o Manaus teve uma média de 10,2 finalizações por jogo e 5,1 na direção do gol, ou seja, o time de Fajardo acertava 50% do que tentava na direção do goleiro adversário, maior aproveitamento entre todos os oito times do Barezão. O Manaus terminou a competição com 22 gols pró e apresentando uma consistência defensiva superior aos demais, levando seis gols em 12 jogos.

Então é necessário entender que nem posse de bola ou finalizações, seja na direção do gol ou não, são reféns de outro fatores para atingir o sucesso de um grupo. O time com maior média de posse de bola (Amazonas) ficou em 2º no 1º turno, o time com mais finalizações (São Raimundo), estava brigando para fugir da zona de rebaixamento e o time com mais finalizações no gol (Nacional), em nenhum momento conseguiu engrenar na competição.

Saudações,

Não deixe de dar seus 10 centavos sobre o assunto, vem vestir a 12 e segue a gente nas redes sociais.

Instagram: camisadozeam

Twitter: CamisadozeAm

Facebook: Camisa 12

*As estatísticas levam em conta apenas as partidas que aconteceram na capital

Daniel Prestes

Pai do Pedro e marido da Camila. Fundador do @camisadozeam e apaixonado por números e esporte. Também sou Repórter do jornal A Crítica/CRAQUE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *