Nacional perde para a Ji-Paraná e dá adeus para a Série D

Nacional perde para a Ji-Paraná e dá adeus para a Série D

Mudou o palco do espetáculo, mas a narrativa se repetiu na Arena da Amazônia. Ji-Paraná/RO visitou o Nacional, abriu mais uma vez 2 a 0 – dessa vez com Gabriel Marabá e Renan – e viu a equipe manauara descontar no final, novamente com o artilheiro, Jackie Chan. Essa vitória por 2 a 1, garante o Galo Azul da BR na fase de grupos da Série D e mantém o time invicto em 2020.

O jogo

A partida começou com os times se estudando bastante em campo. Diferente do primeiro jogo, a equipe do Ji-Paraná desde o princípio mostrou que veio para se defender e tentar encaixar um contra-ataque mortal no Leão. Com isso, o Naça teve a superioridade na posse de bola e tentava chegar da melhor forma ao gol do Galo Azul da Br. A primeira chegada boa do Nacional, foi aos 6 minutos quando Carlinhos avançou pela direita e cruzou na área, onde Jackie Chan apareceu para cabecear e fazer o goleiro Dida trabalhar.

O jogo continuou com a bola nos pés do Naça, mas sem criar muito perigo. Após muitas tentativas de infiltração, o Leão só conseguia atacar finalizando de fora da área e com cruzamentos perigosos. A melhor chance do primeiro tempo apareceu aos 35 minutos, após uma tentativa de cruzamento desviada, a bola sobrou para Guilherme Adolfo, que arriscou da entrada da área e obrigou Dida a fazer uma excelente defesa. Enquanto isso, o Ji-Paraná só conseguiu chegar uma vez com perigo, em uma chance com Ícaro que arriscou um chute colocado, mas Lucão defendeu.

Quando todos esperavam uma segunda etapa com o Nacional buscando ainda mais o gol, não foi o que se viu em campo. Pelo contrário, o Ji-Paraná foi quem mais buscou jogar e logo no início, aos 2 minutos, Ícaro dominou a bola no meio de campo e fez o lançamento para o Watthimem que, sem medo, avançou para cima da marcação puxou para esquerda e cruzou na medida para Gabriel Marabá empurrar de peito e abrir o placar na Arena. O Leão, que já não estava em uma tarde inspirada, sentiu o gol e demonstrou em campo uma desorganização e uma certa ansiedade para definir as jogadas.

Enquanto o Ji-Paraná administrava a bela vantagem que tinha conquistado, o técnico do Leão, Mazinho, começou a fazer as substituições. Raphael Carioca entrou no lugar de Ivamar e teve duas belas oportunidades. A primeira, em um cruzamento perfeito de Guilherme Adolfo, mas ele não conseguiu se equilibrar e botar força na cabeçada, a segunda chance, em uma falta pela direta, Leozinho cobrou, Raphael apareceu dentro da área e deu um leve toque para desviar do goleiro Dida, que atento a jogada, conseguiu defender.

No apagar das luzes ainda deu tempo de sair dois gols. Aos 45, Vitinho avançou pela direita, cruzou na área e Renan se antecipa ao goleiro Lucão, marcando o segundo gol para liquidar o duelo a favor do Ji-Paraná. E aos 49 minutos, o Nacional conseguiu enfim, chegar ao seu gol, após Marabá derrubar Jackie Chan na área e o juiz marcar pênalti, o próprio foi pra bola e diminuiu o placar na Arena da Amazônia. Tarde demais, o Leão da Vila Municipal dá adeus a competição nacional.

Futuro dos times

O Nacional agora aguarda o resultado do imbróglio da justiça desportiva sobre o Campeonato Amazonense, para saber se vai continuar com calendário esse ano ou se terá um longo período de férias até a próxima temporada.

Já o Ji-Paraná embarca ainda hoje rumo a capital de Rondônia, treinam durante a semana para no domingo (20), enfrentar a equipe do Rio Branco/AC, no estádio Biancão (RO), jogo válido pela primeira rodada do grupo. Além dos dois, Galvez/AC, Atlético/AC, Bragantino/PA, Independente/PA, Vilhenense/RO e agora único representante do Amazonas, Fast Clube, também se juntam ao grupo A1 da Série D do Brasileirão.

Foto: Milly Barreto

Rafael Menezes

Deixe uma resposta