Em jogo nervoso, Fast fica no empate contra o Vilhenense-RO na Série D

Em jogo nervoso, Fast fica no empate contra o Vilhenense-RO na Série D

Depois de dominar boa parte do jogo e perder inúmeras chances no primeiro tempo, o Fast acabou cedendo o empate para o Vilhenense-RO por 1 a 1, na noite desta quarta-feira (14), no estádio Ismael Benigno (Colina), pela sexta rodada do grupo A1 do Campeonato Brasileiro da Série D. O gol do Rolo Compressor foi marcado por Daivison aos 16 minutos da etapa inicial e Vinícius empatou para o Leão de Rondônia aos 31 do segundo tempo.

Primeiro tempo

Com uma formação bem ofensiva, usando Charles e Bacas como meias ofensivos e utilizando apenas Igor como volante, o Fast logo foi impondo o seu ritmo e empurrando o time do Vilhenense para o campo de defesa. O Leão de Rondônia tentava parar a equipe da casa com faltas, o que deixou os primeiros 10 minutos de partida bem faltoso e com muitas reclamações. Mas aos 16 minutos, após boa bola trabalhada pelo lado direito, Caíque enfia no corredor para Bernardo, o lateral cruza na área e o artilheiro Daivison antecipa os zagueiros para completar para o fundo das redes.

O gol deu mais confiança para o ataque Tricolor, que aos 18, em jogada de contra-golpe pelo lado esquerdo, Negueba inverteu para Caíque, o atacante puxou para o meio e finalizou com categoria, obrigando Gil a fazer grande defesa. Sem conseguir sair, o Vilhenense não conseguiu parar os ataques pelo lado direito do ataque do Rolo Compressor, que se aproveitava dos espaços.

Aos 31, Caíque e Bernardo repetem jogada pelo lado direito que deu certo no primeiro gol, a bola vai pra área, Daivison domina, rola de letra para Bacas, que dá entrada da área chuta por cima do gol. O time do técnico Ricardo Lecheva perdeu mais uma grande oportunidade, quando Negueba puxa contra-ataque pela esquerda, passa para o lateral Souza, que cruza, a defesa resvala mal e a bola sobra à meia altura para Daivison, que sem equilíbrio e embaixo da linha, manda a bola pra fora.

A primeira finalização do Vilhenense acontece apenas aos 43 minutos, quando Tuquinha arrisca de fora da área pelo lado esquerdo, mas a bola sai sem perigo para Rangel.

Segundo tempo

Sem alterações em ambas as equipes, o Fast começa mais defensivo os primeiros 10 minutos da etapa final. Mesmo com mais espaço, o Vilhenense não conseguia criar para incomodar a meta de Rangel. Com isso, aos poucos o Fast foi voltando a acelerar no setor ofensivo. Na última jogada de Caíque antes de ser substituído por Ítalo, o atacante toca para Daivison, que fica de frente com Gil, mas o goleiro fecha o ângulo e manda a bola pra escanteio.

O Vilhenense sem conseguir criar permaneceu dando oportunidades para o Fast. Aos 21, Negueba perde chance inacreditável, ao receber de frente com Gil e chutar encima do goleiro. Cinco minutos depois, Ítalo avança pelo lado direito, puxa pro meio, mas a finalização acaba batendo na defesa do Leão de Rondônia.

Mas como o futebol é uma caixinha de surpresa, o Vilhenense que não conseguia criar quase nada na partida, foi presenteado pelo Fast com um gol de empate. Aos 31, o volante Vinícius joga na área pelo lado esquerdo e na hora de socar a bola, Rangel fura e a bola vai morre dentro das redes. Após achar o gol, o Vilhenense abdicou de jogar, passou a cair em campo e ganhar o máximo de tempo possível.

Nervoso, o Fast foi caindo na pilha e passou a criar poucas oportunidades. A melhor chance foi quando aos 41, Charles arriscou de fora da área e obrigou Gil a fazer grande defesa. O árbitro Rudimar Goltara do Espírito Santo foi muito críticado por ter dado apenas cinco minutos de acréscimo, levando em consideração o tempo que o time de Rondônia parava a partida, e por não ter dado um pênalti em Ítalo aos 47 minutos.

Foto: Iago Albuquerque

Daniel Prestes

Criador e editor do Camisa 12 e repórter do jornal A Crítica/CRAQUE. Apaixonado por estatísticas no futebol.

Deixe uma resposta